quinta-feira, 31 de março de 2011

Rimas Desenfreadas


Já fui irresponsável,
Já fui o que já não sou,
Já vivi naquele mundo,
Onde ninguém ficou.

Carrego comigo a graça,
Da loucura poder dar,
E acredito que talvez um dia,
Como eu, me possas amar.

Estou em agua,
Estou em fogo,
Estou sozinha,
Apressa-te! Vem logo…

Quero-te agora,
Quero-te aqui!
Quero-te hoje,
Dentro de mim.

Ama-me,
Sente-me,
Beija-me,
Que o meu corpo não mente.

Só nós dois sabemos,
O que este amor nos dá,
Só nos dois é que sabemos,
Onde o nosso coração está.

Como um pássaro livre,
Voo de casa em casa,
Mas encontrei ao teu lado,
Onde poisar as minhas asas.

Nada muda,
Se não mudar-mos,
Nada fica,
Se não ficarmos.

Amo-te agora,
Amo-te depois,
Amo-te aqui.
Amo-te a mil sóis.

Quis fazer este poema,
Para experimentar rimar,
Se não correu bem,
Podem sempre comentar!

Obrigada :)

2011

Sem comentários:

Enviar um comentário