terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Á beira-mar


Senta-te á beira-mar...
sente o toque da areia húmida...
o frio da brisa...
ouve o burburinho das ondas...
vê a espuma que sai delas...
olha o pôr-do-sol...
pega nas conchas...
e lembra-te...
recorda-me...
sente tudo de novo...
recorda...
porque, quando o fizeres, eu estarei em qualquer parte, a qualquer hora, a fazer o mesmo.
seja hoje, amanhã, daqui a meses ou daqui a anos.
porque nunca te esquecerei.
és como o sol em mim.
nasces de manhã, fazendo com que os meus lábios esbocem um sorriso.
ficas ardente de tarde, tocando na minha pele, fazendo com que meu corpo aqueça e peça o teu toque, a tua companhia.
e pões-te mais tarde, beijando meus lábios que pedem um beijo teu sempre que os meus olhos encontram os teus...
e de noite, transformas-te me lua e acompanhas-me no sono e nos sonhos, tornando impossível qualquer hipótese de pesadelo, porque é o meu anjo e porque nada de mal é possível acontecer quando estamos juntos.

2009

Sem comentários:

Enviar um comentário