quinta-feira, 20 de maio de 2010

Terra


De entre todas as coisas sem razão;
De entre todas as coisas sem sentido;
De entre todas as coisas sem lei;

Criam-se espaços;
Aumentam-se montanhas;
Vendem-se almas;
Trespassam-se vidas.

Aumenta-se a intensidade;
Vive-se a morte;
Entristece-se na felicidade.

Partilham-se mágoas;
Reza-se a Lúcifer;
E espera-se...

Espera-se que um dia,
Um dia alguém viva - ou morra -
Por quem não pode;
Por quem não quer;
Por quem não sabe.

Espera-se que o mundo pare de girar;
Que a Terra seja Marte;
E que o Sol seja mais frio que a Lua.

Porque de boas intenções
Está o Inferno cheio,
Mas de pecadores vive a Terra.
2010

Sem comentários:

Enviar um comentário