sexta-feira, 26 de agosto de 2016

私はあなたを幸せにしたいです



Quero que saibas que a culpa não é tua.
As coisas acontecem sem data de produção e muito menos de validade.
E quando acontecem, quando as sentimos bater no fundo,
Sabemos que algumas não são bonitas, não cheiram bem, não sabem bem:
São feias como a merda e cheiram a isso mesmo.
Tu aconteceste - ainda estou demasiado assustada para saber que tipo és.
Mas a dúvida já cá está, dentro de mim.
A eterna dúvida, a puta da dúvida, que não vai embora, mesmo quando lhe tento dar o pontapé no cu que foi conhecer-te.
E eu olho para ti, e revejo-me.
No olhar, no toque, no movimento, no beijo, no sabor...
Revejo-me e assusto-me mais um bocadinho.
A minha cabeça gira, e eu nem bêbeda estou.
(E Deus sabe como gostaria de estar!)
E escondo-me,
Num quarto escuro do meu coração,
Enquanto a minha mente grita por mim e me tenta encontrar,
Num jogo de "esconde-esconde" sem fim.
Tão perto e tão longe,
Tão quente e tão frio...
E olho-te, mais uma vez, com a minha memória afiada de pessoa que já pouco mais tem a lembrar.
Fixo o teu sorriso e penso como seria não o ver mais:
Seres apenas mais uma das minhas lembranças de sorrisos bonitos que pouco mais me deram
Que uma nova camada de frieza e uma ponta de mágoa.
E é aí que sei que te quero.
E é aí que sei que quero sentir-te ao meu lado, quero deitar a minha cabeça no teu peito,
Sentir a tua vida no constante som de "baque".
Quero fazer parte desse som, 
Quero beijar-te, quero ser tua, mesmo que por um minuto, mesmo que por um segundo.
Quero ser, simplesmente, ser.
Sem merdas, sem capas, sem nada, a não ser a vontade de querer.
Quero ouvir o "bip",
Ler a mensagem,
Abrir-te a porta e deixar-te entrar.
Quero que a puta da dúvida se foda!
Quero ser, sem saber o que ser.
Quero sentir, sem saber o que sentir,

Quero apenas saber que te quero,
E que isso nos seja suficiente.

2016

Sem comentários:

Enviar um comentário