sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Diz-me


Preciso de ti.
Preciso que me abraces,
Que me segures perto de ti,
Perto do teu coração,
Preciso de ouvi-lo bater,
E de saber que não esperas nada em troca.

Preciso que não me julgues,
Que me olhes e me vejas,
Que me sintas e me ilumines,
Que me toques e me queiras,
Sem pedir,
Sem exigir,
Apenas…desejando algo,
Que nunca saberás se te posso dar,

Não fales,
Não te vás embora,
Se eu chorar,
Enxuga as minhas lágrimas
Com o teu sorriso.
Se eu quiser fugir,
Segura-me, prende-me com a tua vontade.

Não fales,
Mas não me deixes ir embora.

Segura-me como se eu fosse uma criança,
Como se eu não soubesse para onde ir,
Como se só tu me pudesses fazer sentir
Que o mundo não é um lugar
Onde o amor não acontece.

Pega-me na mão,
E dá-me um beijo.
Finge que estamos num conto de fadas,
E sê o meu príncipe,
Por um tempo,
Que só tu podes determinar.

Deita-te ao meu lado na cama,
E deixa que a minha cabeça
Vá poisar no teu peito,
Deixa que a escuridão entre
Nas nossas almas desprotegidas.

Acaricia-me os cabelos,
E deixa-me soluçar,
Mesmo que não compreendas o porquê.

Não te vás embora.
Não percas a coragem,
Não me leves contigo.

Deixa-me,
Deixa que o teu corpo sinta o meu,
Sem nunca as tuas mãos lhe tocarem.

Deixa que o abraço se prolongue,
Deixa que os meus lábios voltem a sorrir,
E então,
Quando o momento chegar,
Fala.

Sente o sabor das palavras,
Deixa que elas se expressem num som quase inaudível,
Mas diz-me:
Diz-me o que eu preciso de ouvir,
Sem esperar que eu o diga de volta.

Diz-me que me amas.

2012

Sem comentários:

Enviar um comentário