quarta-feira, 22 de junho de 2011

'Tenho tanto tempo, quanto o tempo, o tempo tem.'



Escrevi muitos textos,
De agradecimentos,
Que mais tarde se revelaram,
Capas de conteúdo inexistente.

Conheci muitas pessoas,
O que faz com que muitas delas,
Tenham permanecido na minha vida,
O suficiente para as reconhecer como amigas.

Mas nem tudo correu bem,
E nem todas as palavras do mundo,
Podiam segurá-las em mim.

E perdi pedaços,
Que se espalharam no vento,
E se perderam em todas as direcções.

E depois desses agradecimentos,
Poucas foram as que permaneceram,
E mesmo as que o fizeram,
Muitas revelaram-se diferentes,
E por isso,
Indignas dos meus sentimentos.

Outras,
Foram as minhas palavras que não foram suficientemente boas,
Ou os meus gestos,
Suficientemente ternos.

E por tudo isso,
Te escrevo agora a ti:
Não para mostrar um conteúdo vazio,
Ou uma mascara que em mim,
Possas ou não reconhecer,
Mas para honrar,
Os poucos mas importantes momentos,
Que estive ao teu lado.

E para te dizer,
Abertamente e sem rasteiras,
Que o tempo não determina nada,
E que o pouco tempo que te conheço,
Nada mais se torna,
Que um condutor interno
De felicidade futura.

Porque se pouco tempo estive ao teu lado,
Muito espero estar,
Porque as saudades que já me afligem,
São promissoras de uma boa amizade.

Talvez,
Se te disser que gosto de ti,
Não vás compreender.

Talvez ainda,
Se te agradecer,
Esse obrigado não saiba tão bem,
Por tanta vez usado,
E exausto de intenção.

Por isso,
Te digo apenas,
Que não pensei por um segundo,
Que um dia te escreveria um texto.

Provavelmente, não iras perceber,
Mas esta é a minha voz,
Esta e a forma do meu ser mais puro,
A minha alma envolta em razão,
O meu coração em finas camadas de ternura.

E se de espinhos esta o mundo cheio.
Espero que a rosa que te ofereço,
Não te pique nunca,
Não te magoe nunca,
Não te cause arrependimentos ou angústias.


Porque te quero bem,
Porque te espero aqui,
Ao meu lado,
Por muito tempo.

E nunca,
Mas nunca,
Deixes de rir com as minhas piadas,
Porque nesse dia,
Saberei que te perdi.

Eu mesma para ti,
Eu mesma para mim.

BV

2011

1 comentário:

  1. Como sempre cá estou eu ! Começo a ser 'mobília velha' no blog! loooool xD


    Por mais que diga que está lindo, maravilhoso, estupendo, fantástico..nunca vai existir palavras para descrever os teus textos!

    Sabes que adoro e comento de coração. Não é para ficar bem no blog..apenas necessito que vir aqui escrever o quanto maravilhoso está!

    Beijo grande do fã numero 1! ♥

    ResponderEliminar