terça-feira, 5 de outubro de 2010

Ilusão



Segundas oportunidades
Não importam porque
As pessoas não mudam.

Uma vez desse jeito,
Não há nada a fazer.

Não vale a pena fazer-se passar por inocente,
Quando o sorriso que se veste
E de pura culpa.

Se soubesses o quanto te conheço
Sem nunca te ver…

Eu vi o que não viste,
Ele era tudo,
Tornaste-o em nada.

Eu nunca tencionei larga-lo,
Mas tu pescaste-o pela boca.

Mas saberá tão bem,
Ver o erro que cometes-te…

Eu conheço os sonhos dele,
Como se fossem os meus,
Eu vi-o chorar as minhas lágrimas,
E ri-me com o sorriso dele.

Nunca saberás o que isso é,
Porque és pura ilusão.

Diabo mesclado de anjo,
Mas reconhecível a km.

Doravante, saberás de cor as minhas palavras,
Porque serão a tua experiencia da vida real.

Podes deixa-lo com a cabeça na lua,
Mas eu deixo-o com os pés no chão.

Espera, e verás.

Não vais conseguir roubar-mo,
Não do jeito que queres.

2010

Sem comentários:

Enviar um comentário