domingo, 18 de abril de 2010

Escrevo


Escrevo.
Escrevo a dor que em mim carrego,
Escrevo a mágoa das palavras não ditas,
A felicidade dos actos não cometidos,
A ira dos momentos esquecidos.

Escrevo.

Relembro os pensamentos passados,
A tristeza vã,
A felicidade utópica,
A incerteza de uma vida sem sentido,
A eserança nãoo encontrada,
Uma vida gasta e usada.

Escrevo.

Não falo porque falar estragaria a beleza do momento.
Não!
Não falo.
Apenas escrevo.
Porque se é a falar que as coisas se resolvem,
Então nunca falarei.
Porque a beleza das palavras não está no sentido que as entoamos,
Mas no sentimento que delas flui...
Não fales.
Escreve-me também.

Escrevo.

2010

Sem comentários:

Enviar um comentário