domingo, 18 de abril de 2010

Abismo


A cada passo que dou,sinto que algo me puxa novamente para trás, qual 'Trabalho de Sisífo'...
Não vejo a mão que me puxa;
Não encontro os olhos que me fitam no escuro;
Mas siinto a aragem, essa aragem fria que me gela os ossos,
Que faz tremer...Será?
Tremo de frio ou de medo?
Nem sei...Sou puxada para trás e vou...
A meio do caminho sinto que na verdade... Não me importa para onde me puxam.
Não importa que não veja a mão do meu 'salvador'...
Não importa que não lhe encontre os olhos que me fitam no escuro...
Sei que ele está lá.
Aqui.
Será que eu estava mesmo a um passo do abismo?
Será que me salvou ou me condenou a uma vida de utopias,de inércias, de hipocrisias?
Este vazio...Ai este vazio que me fustiga!
Esta vida vã que não vivo nem deixo viver!

2010

Sem comentários:

Enviar um comentário